“LEVADOS À NOVA JERUSALÉM”? – Juan Stam (tradução)

“Levados à Nova Jerusalém”? – Juan Stam (tradução) – http://juanstam.com/dnn/Blogs/tabid/110/EntryID/117/Default.aspx

 

No domingo passado cantamos em nossa congregação um coro muito conhecido:

 

Quando Cristo vier em glória, eu não vou ficar… Seremos levados com poder à Nova Jerusalém… Eu irei, e tu também para a Nova Jerusalém!

 

O coro é muito bonito e emocionante, mas há um pequeno problema: é anti-bíblico. Não só porque nenhuma passagem bíblica diz isso, mas também porque a Bíblia ensina o contrário daquilo que ele diz. Vejamos:

 

Paulo, em I Tes 4:13-18, nos diz que quando Cristo vier com voz de comando e som de trombeta, “seremos arrebatados ao encontro com o Senhor” (a tradução exata seria: “nossa reunião com ele”, II Tes 2:1). O Senhor ascendeu a partir de uma nuvem (Atos 1: 9) e voltará “numa novem com poder” (Luc 21: 27; provavelmente a Schekiná, “nuvem de glória”). Nos encontraremos com Cristo “no ar”, o que significava para os antigos da lua até a terra. Nada em Tessalonicenses faz pensar que iremos da nuvem ao céu, muito menos à Nova Jerusalém.

 

A Nova Jerusalém, esposa do Cordeiro, é um tema do Apoc 21-22, mas João também não faz ali menção a subirmos até ela. Pelo contrário, ciz que “Eu, João, vi a santa cidade, a Nova Jerusalém, descendo do céu” à nova terra (21: 1-2). Segundo esse texto, não somos nós que subiremos à Nova Jerusalém, mas ela que baixará até nós na nova terra.

 

Anos atrás, em Chinandega, Nicarágua, estudávamos o Apocalipse com um grande grupo de pastores. Um pastor, em particular, tinha ideias muito rígidas e dogmáticas e tinha muita dificuldade de aceitar o sentido claro do texto bíblico. Quando chegamos a este versículo, era óbvio que o irmão não podia aceitar que a Nova Jerusalém baixa ao invés de nós subirmos até ela… Ficou visivelmente nervoso e confundido, tomou a palavra e disse, “irmãos, é que vai descer pra cima!”.

 

Às vezes, como esse irmão, tomamos por verdade nossas ideia de mera tradições. Esse irmão, com sua contraditória interpretação, estava seguindo a Platão, mas não ao inspirado profeta de Patmos. Ao final do curso, o irmão confessou a verdade: “Eu vejo que o Apocalipse ensina tudo isso, mas os artigos de fé de minha igreja dizem outra coisa, e eu prefiro ficar a doutrina de minha igreja”. Pelo menos foi sincero, embora de modo algum tenha sido bíblico.

 

Outro coro, também muito popular, diz “ao som da trombeta, minha alma voará”. Que heresia mais grave! Em 1 Tes 4, são pessoas ressuscitadas, com seus corpos, que vão ao encontro como Senhor. A ressurreição dos mortos em Cristo é o tema central dessa passagem. Quaisquer que sejam as interpretações desse texto, nada nós leva a algo como “um vôo da alma”.

 

Paulo nos exorta a “cantar com o espirito, e cantar também com o entendimento” (I Cor. 14:15). Estou seguro de que nenhum crente quer cantar heresias anti-bíblicas. O problema é que muitas vezes cantamos sem pensar, sem avaliar biblicamente e, então, os cânticos acabam semeando erros em nossa doutrina e fé.

 

Tenhamos muito cuidado, irmãos e irmãs, com o que cantamos!

 

Juan Stam, 25/02/2007.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s