TRÊS FERRAMENTAS PARA O ESTUDO BÍBLICO – Juan Stam (tradução)

TRÊS FERRAMENTAS PARA O ESTUDO BÍBLICO – Juan Stam (tradução)http://juanstam.com/dnn/Blogs/tabid/110/EntryID/106/Default.aspx

Gosto de recomendar três ferramentas para o estudo bíblico. Por muitos anos as tenho experimentado e erficado o quanto elas são valiosas.

Quando o leitor me escuta falar em três ferramentas, talvez possa pensar, imediatamente, numa Bíblia, caderno e lapiseira. Bem, essas são mesmo muito importantes, mas estou pensando em algo diferente. Seria uma tradução moderna da Bíblia, uma concordância e um comentário bíblico? Também são importantes, mas não é disso ainda que se trata!

I. A primeira de minhas ferramentas para estudar a Bíblia é uma lupa. A lupa serve para examinar cada passagem com o devido cuidado, ou seja, “esquadrinhar as escrituras”, como faziam os bereanos. Isso nos ajudará a ver muito melhor o que realmente está no texto que o Espírito Santo inspirou e o que não está, porque não aparece sob a lupa. E, sem dúvida, haverá surpresas!

Sera surpreendente, por exemplo, encontrar em todas as passagens do Novo Testamente que falam do juízo final que seremos, sim, julgados por nossas obras; nunca sendo dito nelas que seremos julgados por nossa fé ou nossa prática religiosa. Mesmo em Apocalipse 20, onde como uma única exceção se diz que será aberto “o livro da vida”, se diz primeiro que serão abertos “os livros” (das obras em vida de cada pessoa) e que todos serão julgados “segundo suas obras” (Ap 20:13).

Outra surpresa virá quando aplicarmos a lupa ao Apocalipse 21-22. Eu cri durante quase toda minha vida que, ao final desse livro profético, Deus nos levaria ao céu. Que outra coisa poderia ser nosso destino final? Mas a lupa revela outro desenlace em Apocalipse. João vê o Novo Céu e Nova Terra (21:1) e uma Nova Jerusalém, que desce a esta nova terra (21:2,10; 3:12). Ainda mais surpreendente: Deus transladará seu trono, que João mesmo havia visto no céu (4:1-2), a esta cidade (22:3). Agora a sede do governo de Deus “aterrizou” para estabelecer-se na nova terra. Há alguns anos, ensinando isso em Chinandega, Nicarágua, um bom irmão não pôde aceitar que a Nova Jerusalém ia descer à Nova Terra, e não nós ascendermos ao céu. Levantou a mão para esclarecer-nos: “Irmão, João”, disse, “é que vai descer pra cima”.

Outras vezes, podemos nos surpreender por descobrir o que não está sob a lupa. Por exemplo, te convido a pôr a lupa sobre todo o Novo Testamento, de Mateus até Apocalipse, e a encontrar um só versículo que afirmem que as bodas do Cordeiro serão realizadas no céu durante o período da grande tribulação. Não existe! Essas núpcias são anunciadas, enviados os convites em 19:7-9, após a tribulação final e às vésperas do Armagedon. Outra surpresa: 1 Tessalonicenses 4:13-17, a famosa passagem sobre o arrebatamento, em nenhum momento somos levados até a presença de Deus no céu. Nosso arrebata vai até à nuvem “para nosso encontro com o Senhor” (4:17) no ar. Nem “a nuvem” nem “o ar” podem referir-se aí ao céu de Deus.

II. Uma segunda ferramenta indispensável para o bom estudo bíblico é uma borracha (de quadro branco e a maior possível). Um grande problema no estudo bíblico é que não queremos que a Bíblia mude nossas ideias e nossa vida. É muito incômodo, e nos deixa nervosos. Muitas vezes somos como esse bom irmão de Chinandega, que queria entender “descer” como “descer pra cima”, tudo para não ter que mudar algo em que já cria. Mas se estudamos a Bíblia (ou qualquer outro livro) é para que nos mude que o fazemos. Do contrário, para que perder tempo lendo a Bíblia?

Creio que se olharmos para trás, na melhor das hipóteses, todos nós encontraremos coisas em que críamos antes nas quais já não cremos mais. Em toda a primeira fase de meu ministério, eu cria que os dons do Espírito terminaram com os apóstolos e que, portanto, essas manifestações hoje eram falsas e não poderiam ser de Deus. Quão equivocado eu estava! Mas diante de um estudo mais cuidadoso, com um bom uso da lupa, Deus pôde mudar-me e libertar-me desse preconceito anti-bíblico.

Claro, essas mudanças têm que estar sujeitas à Palavra; a lupa tem que ir antes da borracha. Às vezes, quando estou ensinando, vejo que alguém começa a mexer as mãos na testa, parecendo os limpadores de para-brisas de um carro. Diante disso, me dou conta que está usando a borracha. Uma vez, um estudante me perguntou, “irmão João, onde posso comprar uma borracha com um metro de largura? Tenho muito pra apagar!”.

III. Finalmente, a terceira ferramenta é um par de fones de ouvido, para sintonizar a voz de Deus. Não estudamos as escrituras só para ser especialistas no conhecimento bíblico, mas para escutar ao Senhor, ser discípulos fiéis e obedecer sua vontade. Não bastam a lupa e a borracha; necessitamos também de fones de ouvido espirituais. Parafraseando a bem-aventurança de Apocalipse 1:3; “bem-aventurados os que esquadrinham a Palavra com lupa, mudam suas ideias com borracha quando necessário e escutam atentamente a voz do Senhor com fones de ouvido bem ajustados, para imediatamente pôr em prática a palavra profética”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s